Image Map

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

ESTRÉIA | The Doogers - Capítulo 1.01

The Doogers
Capítulo 1.01 - "Coisas Ruins Acontecem"

  Era uma manhã chuvosa em Campo Cyrus quando na casa dos Doogers, Bonnie vinha pelo corredor dos quartos alertando seus filhos Thomas, Michaela e Babe para que acordassem e tomassem seus cafés falando batendo nas portas
  -Thomas, acorda, não é hora de ficar olhando a droga do poster do Freddy Krueger na parede, está decadente, está pior do que o seu pai guardando Cds da Celine Dion na capa do vazo do banheiro sem eu saber. - Ela bate na porta de Babe. - Babe, vamos lá. Outro dia você usa o seu Kit de sangue falso, braços, sei lá que outras coisas essa sua maleta aberracional guarda. - Ela bate na porta de Michaela,. - Michaela, se estiver vendo vídeos no YouTuber de matemática novamente irei cortar a sua internet. Todos os dias de manhã é isso, quando não é matemática é hidratação de cabelo, oh, meu Deus. O pai de vocês já está na mesa tomando café sozinho, andem! - Fala Bonnie descendo as escadas voltando para a cozinha quando, Michaela se levanta da cama prosseguindo até o banheiro do seu quarto fechando a por, pega a escova e a pasta de dentro do armário voltando a fechá-lo quando ela ouve o barulho de uma faca afiando-se deixando-a assustada
  -Mãe, é você? Está matando de novo um porco ou afiando sua faca especial? - Michaela para de escovar o dente olhando tudo em volta vendo nada, mas ao olhar o espelho do banheiro se depara com Babe atrás dela segurando uma faca com sangue falso e uma máscara do assassino do filme, Halloween. - Babe! Isso não tem graça, você é louca e insana, onde está com a cabeça pra fazer isso a essa hora da manhã, sua, sua, sua, insana! - Fala Michaela furiosa vendo, Babe tirar a máscara 
  -Pobre, Michaela, todos os dias de segunda-feria é isso, já devia estar preparada. Te dou os mesmos sustos há três anos e nem se toca de que sou eu na semana seguinte, o sangue dessa faca já endureceu, eu guardo ela especialmente pra você. - Fala Babe rindo lambendo o sangue da faca de forma totalmente estranha assustando a sua irmã 
  -Oh, meu Deus. - Babe fica confusa comendo o sangue. - Não disse que isso já endureceu? Que nojo. - Enoja Michaela 
  -Tem gosto de maçã do amor, quer também? - Pergunta Babe a oferecendo
  -Não, não, não. Apenas saia do meu banheiro e do meu quarto, tenho escola e projeto de química. Anda! - Fala Michaela empurrando-a pra fora do banheiro trancando a porta que do lado de fora ela vai embora com um sorriso maligno no rosto.
  Todos descem se sentando na mesa percebendo que seu pai não estava lá como sua mãe disse vendo somente ela preparando mais waffles na Máquina de Waffles sozinha de costas para eles quando um pergunta
  -Mãe, não disse que o nosso pai estava aqui sozinho tomando café? - Pergunta Thomas confuso enquanto ela se vira
  -Ah, é, ele está na sala atendendo um telefonema do trabalho dele. - Responde Bonnie pegando os waffles colocando-os na mesa onde todos podiam come-los até que, Warren voltando da sala guardando seu celular no bolso se juntando a todos a mesa menos, Bonnie que fica em pé
  -Bom dia, queridos! - Fala Warren se sentando
  -Bom dia, pai! - Fala Babe e Michaela juntas menos, Thomas
  -O que queriam, Warren? Algum problemas lá? - Pergunta Bonnie preocupada 
  -Não, não. Nada demais, só meu novo paciente que já está a minha espera, por isso vou tomar café mais rápido hoje e ir. - Responde Warren comendo um dos waffles com o garfo
  -Será que pode nos dar uma carona até a escola, tá chovendo. - Fala Thomas
  -Claro, filho. - Babe e Michaela o encara com os olhos serrados. - E filhas. Desculpa. - Fala Warren quando, Babe morde um dos waffles percebendo algo estranho neles
  -Tem algo estranho nos waffles. - Fala Babe mastigando confusa fazendo todos os outros mastigarem 
  -Ela tem razão, acho que é o xarope doce, tá faltando. - Fala Michaela mastigando confusa
  -Tem gosto de gofo do Norab, lembra do sobrinho do nosso pai? - Pergunta Thomas
  -Verdade, ele vomitou na sua boca. Ew. - Responde Michaela enojada deixando, Bonnie em pânico sobre aquilo tudo mas se matem quieta
  -Exato! - Todos olham para, Babe. - Tem mesmo o gosto do gofo do Norab. Mãe, a senhora precisa aperfeiçoar mais sua culinária, tá um pouco decadente, em falta de ascensão. - Fala Babe dando um sorriso bobo quando, Warren se levanta da mesa
  -Parem de falar mal do primo de vocês e dos waffles da sua mãe. - Fala Warren
  -Obrigada. - Sussurra Bonnie um pouco feliz
  -Vamos lá, escola, quem quiser carona já estou indo. - Warren vai até, Bonnie a dando um beijo. - Beijo, querida. Até mais tarde! - Fala Warren saindo da cozinha enquanto todos se levantam da mesa
  -Tchau, mãe! - Fala eles indo atrás de seu pai
  -Tchau. Boa escola. - A porta da frente bate mostrando que haviam saído. - Hum, "tem gosto do gofo do Norab", "falta de xarope doce", "aperfeiçoe sua culinária". Mas foi eu quem estudou cinco anos no Cozinha de La Chefe, e agora é isso que recebo em troca desses, desses.... não posso xingar minha família. - Fala Bonnie furiosa pegando o garfo de um dos pratos e fincando-o na polpa de sua mão fechando os olhos de dor.
  Warren estava a caminho da Escola de Campo Cyrus levando seus filhos no carro com, Babe e Michaela atrás e Thomas na frente por ser o mais velho quando tenta puxar assuntos jovem com eles
  -Então, Thomas. Como está indo a escola? - Pergunta Warren
  -Bem. - Responde Thomas sem ânimo olhando para o seu lado direito vendo a chuva caindo pelo vidro
  -Legal. - Fala Warren dando um sorriso descontraído 
  -É.... - Sussurra Thomas ainda desinteressado quando, Babe olha a música que, Michaela estava ouvindo no seu celular vendo que era "DNCE - Cake By The Ocean" fazendo um olhar malicioso pro lado dela que se assusta
  -Michaela Dooger, está carente ou é impressão minha? - Pergunta Babe sorrindo estranhamente quando, Michaela tira um de seus fones querendo saber oque era
  -O que é agora? - Pergunta Michaela entediada
  -Por que está ouvindo, Cake By The Ocean do DNCE? Está acontecendo alguma coisa com você? - Pergunta Babe curiosa
  -Como assim? Não, não! Não está acontecendo nada, porque estaria? - Pergunta Michaela confusa
  -Se fosse, Don't Waite da Bebe Rexha, entenderia. Isso sim é música de baixo astral. - Responde Babe
  -Na verdade, Don't Wait é da Mapei. - Corrige Thomas
  -Quem ser, Mapei? - Pergunta Warren confuso
  -Am... cantora? - Responde Michaela confusa sobre ele
  -Seria alguém ou um homem relacionado a Celine Dion? - Pergunta Warren as olhando pelo retrovisor do carro
  -Mapei é uma mulher, nada relacionado a Dion ou qualquer outra pessoa. Oh-meu-Deus! - Fala Michaela assustada
  -Grande dia... - Sussurra Thomas irritando, Warren
  -Olha aqui pequeno rapaz, eu estou ouvindo todas as suas ironias, sou seu pai, me deve respeito. - Michaela e Babe ficam rindo assim ele as olha pelo retrovisor novamente. - E vocês duas? Do que estão rindo? Querem ficar de castigo sem saírem de casa, sem laptop e a porcaria do seus celulares? - Elas ficam quietas. - Ótimo, obrigado. - Eles chegam até a porta da escola onde todos abrem as portas. - Adeus! - Fala Warren até que eles fecham a porta e ele arranca com o carro e Thomas, Michaela e Babe entram correndo por estar chovendo.
  O sinal toca fazendo com que todos os alunos procurassem sua sala. Na sala de aula com o professor de Filosofia Cherton que explicava sobre a diferentes palavras, sentimentos, tipos e expressões de religiões que existe em todos os paises diferentes de suas raças ou desingualdades nisso
  -A filosofia é uma arte requirida, ela tenta sugar oque vocês teem aí dentro guardado, ela tenta fazer com que vocês expressem seus sentimentos em relação a alguma coisa. - Fala Cherton quando, Tripp sentado do lado de Thomas sussurra
  -Bom, não preciso expressar meus sentimentos com um papel. A internet é feita pra isso, aquela loira do 5XXX me entende completamente quando me masturbo vendo-a. - Fala Tripp fazendo, Thomas e Vector rirem
  -Tripp, essa foi boa. Guarda mais pra aula de matemática. - Fala Thomas rindo até que, Vector o chama fazendo-o olhar para trás
  -Thomas, acabei de lembrar. Lá em casa na funerária do meu pai acabou de chegar um corpo. - Fala Vector
  -Mas todos os dias chegam corpos, não? Sinto cheiro de repugnância da minha casa vindo de lá. - Fala Thomas
  -Grr, não é isso. Tô falando do novo corpo, é um famoso, astro do Rockin Roll o Dikazuje Hanatom, lançou a música, "Me Leve Com Você" em 1983, daí ficou famoso. - Fala Vector fazendo, Thomas arregalar os olhos se virando completamente para ele
  -Jesus Cristo, Vector. Dikazuje Hanatom está no velório dos seus pais? Deus, precisamos ir até lá, preciso vê-lo. Quando eu o vi aquela vez no Latrel Tuben Show fiquei tipo: nada, sem reação, só sabia sentir aquele momento. - Thomas se aproxima bem do rosto de Vector. - Eu preciso vê-lo. Sou um, Dikazujes. - Fala Thomas
  -Uau, parece que você vai me beijar. Assustador. - Fala Vector rindo sem graça
  -Espera, oque? - Pergunta Thomas confuso quando o Professor Cherton chama sua atenção
  -Sr. Dooger, algum problema com o Sr. Vaccari? - Pergunta Cherton fazendo-o se virar para frente
  -Não, está tudo bem. - Responde Thomas sorrindo sem graça
  -É oque eu esperava. Agora voltando em conceito a religião, intolerância religiosa que todos devemos ter. - Fala Cherton enquanto, Michaela estava na sua sala de aula na aula de química com a Professora Frances que os avisa sobre o trabalho de classe no horário
  -Turma, o nosso trabalho de química será hoje ainda nesse horário. - Ela escreve química bem grande no quadro. - Quero que formem duplas, pares para esse projeto. - Fala Frances voltando para a sua mesa mas, Terry a questiona
  -Srta. Frances. - Fala Terry chamando sua atenção
  -Algum problema, Srta. Delebar? - Pergunta Frances
  -Não, não. É apenas uma questão de dúvida mesmo. Nós vamos poder escolher os nossos pares ou a senhora irá os escolher? - Pergunta Terry
  -O seu par está exatamente aonde? - Pergunta Frances quando, Terry olha para a primeira carteira da porta
  -Ele está na primeira carteira perto da porta, a primeira fila. - Responde Terry fazendo, Frances olhar para todos
  -Bom, eu irei os escolher. - Todos reclamam. - Silêncio. Vou mudar, juntem-se com o aluno do seu lado direito. Já! - Ordena Frances assim, Michaela tendo que juntar com, Erin que fica com uma cara de metida
  -Erin. - Fala Michaela já juntada com ela
  -Michaela Piranha Dooger, não sabia que a escola aceitavam a parte pobre de Campo Cyrus. - Fala Erin
  -O quê? Do que está falando? Você também mora em Campo Cyrus, todos nós moramos. Você não é a única aqui a ficar se achando, eu só quero fazer o projeto de química, enfim acabamos com isso, entendeu? - Pergunta Michaela
  -Grr, você que sabe. Tão rude. - Responde Erin assim, Frances avisa o experimento
  -Para os curiosos até agora que são todos vocês, a experiência será a famosa pedra, água e fogo. Terão que usar carbeto de cálcio, tudo oque precisam está acima das suas mesas. Comecem. - Fala Frances assim todos começam
  -Kayla, me passa o gelo mas antes passa ele no carbeto de cálcio. - Fala Terry
  -Tudo bem, gelo passado no carbeto de cálcio. - Fala Kayla a entregando
  -Obrigada, agora pega aquele pote, coloca o gelo dentro e me passa o fósforo. - Fala Terry
  -Pote e fósforo passando. - Fala Kayla a entregando mas fica irritada
  -Será que pode por favor para de narrar oque está passando? Agradeceria muito. - Fala Terry deixando o fósforo cair dentro do pote fazendo sua experiencia dar certo a assustando
  -Oh, meu Deus! - Fala Kayla surpreendida
  -Fogo, fogo, fogo! FOGO! - Grita Terry chamando a atenção de Francis que vai até elas
  -Srta. Delebar e Srta. Hutchinson, parabéns, foram as primeiras em terminar a experiencia. - Elogia Frances
  -Toca aqui. - Fala Terry tocando na mão de Kayla enquanto, Michaela as observava voltando com seu projeto com Erin
  -Certo, Erin. Está no nosso alcance isso, somos as duas mais inteligentes da sala, quase parecidas. - Fala Michaela a assustando
  -Eca, não somos e nunca seremos parecidas. - Fala Erin
  -Me passa o gelo e passa ele no carbeto de cálcio pra mim. - Fala Michaela pegando um pote e o fósforo mas, Erin fica indignada
  -Por que você não pega? Acha que sou sua escrava? Seu cachorro? - Pergunta Erin fazendo, Michaela chegar no seu limite pegando um vidro com um líquido transparente e jogando nela
  -O que acha agora de estar molhada com água sua, vadia? - Pergunta Michaela rindo mas, Erin entra em pânico por aquilo ser ácido
  -Me ajuda alguém, minha pele está sendo arrancada do meu corpo! - Fala Erin desesperada deixando, Michaela assustada
  -Como assim? Te joguei água. - Fala Michaela confusa
  -Chamem a enfermeira rápido, venha comigo, Srta. Trekker, isso é acido, na enfermaria cuidaremos disso. - Fala Frances a levando enquanto, Michaela fica sem reação com toda atenção voltada para si depois que, Frances e Erin saem pela porta
  -Michaela, isso foi demais! - Fala Terry sorrindo quando mais tarde estava na sala do Direitor Cobby sentada ouvindo-o falar
  -Srta. Dooger, seus pais receberão uma carta informando a tragédia que causou, o braço daquela garota pode estar em sérios riscos. - Fala Diretor Cobby
  -Eu não sabia que aquilo era ácido, achei que fosse a água ou o líquido inflamável pro projeto. - Tenta justificar Michaela
  -Há, acabou de assumir duas opções. Líquido inflamável e água. - Fala Diretor Cobby
  -Mas... - Fala Michaela mas é interrompida
  -Sh! Chamarei seus pais a escola e conversarei com eles sobre o acontecido, mas a senhorita terá pontos retirados em química, seu ato foi com intenção, tanto é se tivesse visto estava escrito ácido. Então... pode voltar para a sala. - Fala Diretor Cobby a dispensando que se retira da sala dele fechando a porta passando por um garoto no corredor jogando seus cadernos no chão
  -Foda-se! - Grita Michaela furiosa.
  Bonnie estava na casa de sua mãe, Flora sentadas na varanda tomando chá com ela e Yara Lancoft, a vizinha do lado  que anuncia sua retirada por motivos familiares
  -Queridas, o chá e o assunto está bom mas tenho que ir, meu marido chega daqui uma hora, tenho que picar um porco no meu quintal. - Fala Yara se levantando da cadeira
  -Mas já? Quer dicas de como picá-lo? Sou formada na Cozinha de La Chefe. - Fala Bonnie
  -Obrigada, mas tenho um maçarico, machado e uma arma. Não vou precisar de dicas, bye! - Fala Yara se retirando da varanda saindo pela porta da frente
  -Essa mulher é doida? Como é vizinha dela ainda e não chamou a polícia? - Pergunta Bonnie quando sua mãe olha seu machucado na mão tampado com gases e esparadrapo 
  -Bonnie, está me escondendo alguma coisa ou quer me contar? - Pergunta Flora 
  -Quem, eu? Não, porque deveria? - Pergunta Bonnie rindo sem graça
  -Te conheço muito bem, Bonnie Speller, você nasceu de mim. Quando te matriculei no Cozinha de La Chefe você ficou tão ansiosa que passou mal, e hoje em dia quando tenta esconder alguma coisa relativamente a comida você dá as mesmas desculpas e cita o Cozinha de La Chefe. - Responde Flora
  -Mãe, confiei em mim. Aconteceu nada. - Insiste Bonnie
  -Conta. - Fala Flora a encarando de um jeito estranha deixando-a assustada
  -Okay, okay, okay. Minha família esta manhã criticou meus waffles. - Fala Bonnie triste
  -Só por isso está assim? E esse machucado na sua mão? - Pergunta Flora querendo saber mais
  -Grr, eles disseram que tinha gosto do gofo do sobrinho do Warren, fiquei furiosa, não sei como me controlar nessas horas, acontece. - Confessa Bonnie deixando sua mãe assustada.
  Babe estava conversando com suas amigas, Jacqueline e Roxie na escola quando repara no pequeno buraco na parede do vestiário masculino avisando-as sobre aquilo
  -Ei, gente, olhem. Tem um buraco no na parede do vestiário masculino. - Avisa Babe
  -E...? - Pergunta Roxie desinteressada 
  -Pênis grátis. - Responde Babe
  -Ouvi falar que o Nan tem o maior pênis de todos os garotos da escola. - Fala Jacqueline
  -Sério? Achei que fosse o do Avy. - Fala Roxie assustada
  -Não, não. É do Nan, tenho certeza. - Fala Jacqueline estressando, Babe
  -Calem a boca, vamos apenas olhar no buraco e literalmente definir isso. Alguém topa? - Pergunta Babe olhando as duas
  -Topo, mas se o do Nan for maior quero cinco dólares. - Responde Roxie
  -Okay. - Babe olha pra, Jacqueline. - Jacqueline? - Pergunta Babe
  -Tudo bem, vamos lá. - Fala Jacqueline indo com as duas até perto do buraco olhando vendo os garotos nus fazendo brigas de espadas com os pênis, alguns tomando banho, ect..., mas, Roxie fala
  -Aquele é o Nan? Ele quase não tem pênis, onde viu que ele tinha? - Pergunta Roxie confusa
  -Para de estragar tudo, eu fiquei com ele uma vez e prometi caso acontecesse uma coisa dessas de falar sobre o pênis dele, eu iria dizer que é o maior da escola ou dos garotos, mas acho que isso foi exagerado. - Responde Jacqueline
  -Olhem quem está ali, Avy gostoso. Olhem aquele pênis... - Fala Babe quando um dos garotos chamado, Link bota seu olho no buraco a assustando
  -Babe? - Pergunta Link deixando-a totalmente pasma que mais tarde estava ela e ele conversando perto da quadra da escola longe de todos
  -Vamos lá, oque você quer? Vai me estuprar, Link? - Pergunta Babe
  -Não, não, não. Eu quero que você ande comigo o dia todo, ao meu lado como se fossemos namorados, ouviu bem? Por que se não fizer isso, contarei a todos oque você estava fazendo, principalmente aos seus pais, destruirei sua vida, Babe Dooger, me entendeu bem? - Pergunta Link
  -E oque eu ganho com isso? - Pergunta Babe
  -Certamente nada. Agora até mais tarde, tenho jogo de Lacrosse. - Responde Link a dando as costas saindo dali deixando-a sozinha com um olhar maligno pra cima dele.
  Warren estava no seu consultório psiquiátrico com uma paciente vestida simplesmente com a mão entre as pernas com sentido de medo quando ele a pergunta
  -Lariza Montairie? Certo? - Pergunta Warren
  -Sim. - Responde Lariza
  -Vamos lá, me conte um pouco sobre você. - Fala Warren
  -Okay, tudo bem. É... há dez anos venho lutando com isso, descobri essa doença há muito tempo e não sei como tratá-la, sou uma ninfomaníaca, sinto vontades imensas de transar com pessoas que não posso, seria estranho chegar perto de um cara e perguntar se ele queria transar comigo, eu passo noites em claras, as vezes me corto pra aliviar a vontade. Eu tinha um namorado chamado, Troy, transava com ele todos os dias até que começou a ficar estranho, eu não queria só mais com ele, queria menáges com mais homens então nos separamos. - Fala Lariza
  -Uau, quanto tempo namoraram? - Pergunta Warren
  -Cinco anos. - Responde Lariza
  -Foi nesses cinco anos que você ficou pior do que os cinco anteriores? - Pergunta Warren
  -Sim. - Responde Lariza até que, Warren coça a virilha excitando-a
  -Bom, me conte um pouco mais sobre sua família, seus pais. Tem irmãos? - Pergunta Warren mas ela muda totalmente a conversa
  -Sr. Dooger, me desculpe, sei que pode ser estranho mas.... - Fala Lariza mas ele a interrompe
  -Quer transar comigo nesse exato momento, não é? - Pergunta Warren a encarando
  -Acertou, mas estou tentando segurar e não consigo. - Responde Lariza começando a ficar ofegante 
  -Stra. Montarie, acalme-se, respire fundo, tem que se controlar. - Fala Warren tentando ajudá-la mas ela enlouquece
  -Me dá seu pênis, por favor. - Fala Lariza indo até ele rapidamente levando um tapa na cara assustando-a
  -Tente outra vez. - Fala Warren a encarando assim ela tenta levando outro tapa na cara
  -Por que está fazendo isso comigo? - Pergunta Lariza querendo chorar
  -Stra. Montarie, o seu caso não é bem com um psicanalista, eu converso com pessoas que teem problemas pessoais, não com problemas de sexo que é o seu caso. - Responde Warren
  -Desculpe, foi um erro meu em vim ao seu consultório. - Fala Lariza pegando sua bolsa na poltrona mas ele a para
  -Espera, toma esse endereço de um médico amigo meu, ele vai te ajudar. - Fala Warren escrevendo algo no papel da sua prancheta que logo rasga a entregando
  -Obrigada. - Agradece Lariza saindo pelo porta do escritório fechando assim ele dá um suspiro de alívio.
  Anoitece. Todos chegam em casa pela porta da frente juntos por Warren tê-los buscado na escola quando sentem um cheiro de uma coisa deliciosa vindo da cozinha começando a palpitar sobre aquilo
  -Esse cheiro vindo da cozinha é ótimo. - Fala Babe puxando aquele ar doce quase chegando na cozinha
  -Bonnie? - Pergunta Warren
  -Parece vim da... - Todos chegam na cozinha. - Cozinha. - Fala Thomas vendo um grande prato de waffles cheio com Bonnie em pé os encarando
  -Waffles de novo? Já comemos de manhã. - Fala Michaela confusa
  -Sim, waffles novamente. Quero que sentem nessas malditas cadeiras e comam todos. Vejam se está com gosto de gofo do Norab agora. - Fala Bonnie furiosa
  -Isso tudo é por aquilo mais cedo? - Bonnie fica com a cara trunfada. - Bonnie, para com isso. Eles não estavam criticando o gosto da comida, foram apenas trocadilhos. Quer conversar? - Pergunta Warren preocupado
  -Não, não quero conversar. Não sou sua paciente do consultório, não vim fazer psicanalises igual famosos. - Responde Bonnie quando, Michaela vê o machucado em sua mão
   -Que machucado é esse na poupa da sua mão, mãe? - Pergunta Michaela curiosa
   -E porque o diretor da sua escola ligou falando que jogou ácido na Erin Trikker? - Pergunta Bonnie a encarando dessa vez
  -Você jogou ácido em quem? - Pergunta Thomas confuso
  -Achei que fosse água. - Tenta corrigir Michaela
  -Michaela, estou gostando. Era essa, Dooger que eu precisava de ver pra me incentivar com aquela loira da minha sala, acho que vou jogar desinfetante nela, ou alguma coisa que machuque como um tijolo. - Fala Babe
  -O quê? - Pergunta Thomas mais confuso ainda
  -Chega! - Zanga Warren mas, Babe continua
  -Sabia que a Erin fica com o primo dela? É quase que um incesto. - Fala Babe
  -É um incesto sua idiota. - Corrige Thomas irritando, Warren
  -CHEGA! - Todos olham para ele. - Já cansei de vocês ficarem discutindo entre si. - Ele olha para, Michaela. - Michaela, suba pro seu quarto e pense no que faz. - Fala Warren
  -Mas pai... - Tenta falar Michaela mas ele mostra quem é a autoridade ali
  -AGORA! - Michaela segue em direção as escadas para subir. - Bonnie, para com essa de waffles e achar que estamos criticando sua comida, ninguém nessa casa faz isso e nunca mas irá fazer desse jeito que ocorreu hoje pela manhã. E você, Thomas e Babe, subam pro seus quartos também. - Zanga Warren 
  -Estamos de castigo também? - Pergunta Babe 
  -Não, apenas subam e fiquem lá, só pra, Michaela não ficar mal vendo vocês livres pela casa. - Responde Warren
  -Tudo bem. - Fala Babe indo com Thomas
  -Hum, ninguém manda em mim. - Fala Thomas
  -Repete que irá ver quem manda em quem, só tem dezesseis anos. - Thomas sobe quieto. - Isso mesmo. - Fala Warren voltando a olhar para, Bonnie.
  Era mais tarde. Bonnie e Warren desciam as escadas arrumados encontrando seus filhos sentados no sofá da sala que olham para trás os vendo bem produzidos perguntando
  -Onde vão tão chiques assim? - Pergunta Michaela impressionada 
  -Parece que estão indo na Comic-Con de San Diego. - Fala Babe rindo mas ninguém a dá confiança
  -Eu e sua mãe iremos assistir, Jurassic World, não conseguimos ver quando lançou em dois mil e quinze, e está passando hoje a noite no cinema aqui da cidade, então. Se comportem e Michaela... - Fala Warren chamando sua atenção
  -Sim? - Pergunta Michaela curiosa
  -Pode sair do castigo, é uma boa filha, julguei mal. - Responde Warren dando um sorriso para ela
  -Valeu, pai. - Agradece Michaela dando um sorriso de volta
  -Ergh, vomitei. - Sussurra Thomas quando seus pais saem pela porta da frente a fechando entrando no carro indo em direção ao cinema até que, Babe recebe uma mensagem de Link no seu celular mandando-a o encontrar na casa de Vector assim ela se levanta tentando despistar mas é pega
  -Aonde está tentando ir, Barnabete Dooger? - Pergunta Michaela olhando para trás juntamente com Thomas
  -Não está tentando sair, está? - Pergunta Thomas confuso
  -O quê? Não, não... eu só ia na casa do Vector. - Responde Babe rindo sem graça
  -Sério? - Pergunta Michaela ficando entediada 
  -Sério? Eu também vou lá, quero ver o corpo do Dikazuje Hanatom. - Fala Thomas se levantando do sofá indo até ela deixando, Michaela confusa
  -Dika, quem? - Pergunta Michaela confusamente
  -Você vem ou não? - Michaela fica pensativa. - É nessa hora que se ouve o porco falecido que a nossa mãe o matou. Se ficar sozinha, bom... corre o risco de vê-lo correndo pela casa tentando te assombrar. - Fala Thomas a tentando fazer medo 
  -Não sei, não acredito muito nisso. - Todos ouvem o barulho de um porco vindo da cozinha. - O que foi isso? - Pergunta Michaela assustada indo pro lado de Thomas e Babe que estavam igualmente
  -Oh, meu Deus. Pigley voltou dos mortos para nos assombrar. - Fala Babe quando ouvem um barulho maior de um porco
  -Vamos para casa do Vector, vamos, vamos, vamos. - Fala Thomas abrindo a porta da frente deixando as duas passar, mas quando ele a fecha ouvem uma batida na porta, algo a atacando
  -Jesus, é mesmo um fantasma de animal, o meu cérebro de garota inteligente fanática está tentando recusar essa minha expressão mas não consigo, é surreal. - Fala Michaela
  -Apenas vamos e voltaremos quando nossos pais voltarem. - Fala Thomas seguindo em direção a casa do Vector que é ao lado batendo na porta, mas quem atende é Morgan
  -Thomas? - Ele olha para, Michaela e Babe. - Michaela? Babe? - Pergunta Morgan confuso
  -Oi, Sr. V. o Vector está? - Pergunta Thomas
  -Está logo ali na sala com o Link. Entrem, entrem! - Responde Morgan os deixando entrar
  -Obrigada! - Agradece Michaela entrando até que, Morgana vem descendo as escadas toda produzida chamando a atenção deles
  -Sra. V. onde vai tão elegante? - Pergunta Babe impressionada
  -Querida, obrigada por perguntar. - Morgana fica ao lado de Morgan. - Eu e o Morgan estamos indo ao cinema de Campo Cyrus pra ver, Jurassic World, não vimos em dois mil e quinze. - Responde Morgana
  -Nossos pais acabaram de ir para lá também assistir o mesmo filme. - Fala Michaela
  -Sério? - Pergunta Morgan
  -Assustador. - Sussurra Thomas entendendo mais nada até que, Vector vem com Link da sala
  -Thomas? - Ele vê, Michaela e Babe. - Garotas! - Fala Vector sorrindo
  -Babe. - Fala Link olhando seriamente para ela
  -Link. - Fala Babe fazendo o mesmo
  -Vector, querido. Estamos indo. - Fala Morgana abrindo a porta
  -Não mecham no corpo do Dikazuje. - Fala Morgan saindo pela porta a fechando quando, Vector olha sorrindo para todos
  -Por que está sorrindo igual ao Johnny de O Iluminado? É assustador. - Fala Babe confusa
  -Adivinhem? Bebidas liberadas. - Fala Vector fazendo um "-Ô" juntamente a Link
  -O quê? - Pergunta Michaela achando isso errado
  -Relaxa, fofinha. É apenas cerveja, não faz mal. - Fala Link dando um sorriso malicioso para ela
  -Ew. - Enoja Michaela o olhando enquanto, Thomas fica com um sorriso no rosto
  -Vector, oque acha de pegarmos uma cerveja e ir até o Dikazuje vê-lo? - Pergunta Thomas
  -Você leu minha mente. Venham comigo. - Fala Vector os levando até o funeral
  -Ninguém até agora me falou quem é esse, Dikazuje. - Fala Michaela os seguindo confusa
  -Dikazuje Hanatom é um famoso astro do Rock que viveu entre os anos mil novecentos e setenta a dois mil e dezessete. Famoso em quebrar caixas de som e guitarras no palco, principalmente também por tomar banho na sua banheira nomeada de Ases cheia de Vodca, ás vezes vinho também, quando não foi nenhuma dessas vezes ele a encheu de Nutela. - Explica Link entrando no cômodo da casa que era o funeral cheio de caixões vazios, apenas um estava ocupado com o corpo de Dikazuje
  -Uau, ele era bem rebelde então. - Fala Michaela impressionada
  -É... - Confirma Link quando, Babe fala
  -Minha santa mãe de Deus. Parece que estou em casa daqui alguns anos, me sinto tão viva. - Fala Babe puxando todo aquele do cômodo
  -Já volto com as bebidas, e Thomas. Mantenha sua irmã longe dos caixões. - Avisa Vector
  -Qual delas? - Pergunta Thomas confuso assim, Vector vai pegar as bebidas
  -Óbvio que é a Babe. Qual de nós duas que tem cara de ir para a prisão no futuro enquanto nós quatro, eu, você e os nossos pais vamos visitá-la? - Pergunta Michaela criando uma lógica quando, Vector já havia trago as bebidas deixando todos beberem a vontade onde começam a ficar alterados começando a brincar entre os caixões entrando dentro deles fingindo estarem mortos quando ficam reunidos bebendo perto de Babe que conta uma coisa assustadora
  -Há muito tempo aqui na floresta de Campo Cyrus havia um homem chamado, Ambrose Sanítico. Vivia na floresta sozinho, sem família para o acompanhar, se alimentava apenas de animais e pessoas... - Fala Babe mas é interrompida por, Michaela
  -Já ouvi esse nome, é o meu jornalista favorito dos anos oitenta. Ambrose Gwinett Bierce. Infelizmente morreu em mil novecentos e catorze antes da minha pessoa conhecê-lo. - Lamenta Michaela
  -Ninguém quer saber. Mas agora voltando para o assunto do Ambrose Sanítico. Ele se alimentava de animais e... - Fala Babe mas, Link a interrompe se levantando ficando ao lado dela
  -Essa história do Ambrose já está chata, Barnabete. Ei, Vector, tem mais bebida? - Pergunta Link deixando-o confuso
  -Mas as cervejas já estão... - Ele percebe. - Ah, claro, claro. Thomas, Michaela, me ajudam a trazer três garrafas de vinho? - Pergunta Vector se levantando do chão juntamente com Thomas menos, Michaela
  -Se o Thomas já está indo, pra que eu deveria ir? São apenas três garrafas miseráveis, e pra ser irônica, isso é "garrafamente" desnecessário. Você carrega duas e Thomas uma. - Fala Michaela tentando fazer uma piada causando desanimo e tédio
  -Preciso de você. Cada um tem que carregar uma, e se eu deixar uma cair e não poder pegar porque tenho outra em mãos? Por favor, Michaela, um ajuda o outro. - Implora Vector
  -Tudo bem. - Michaela se levanta. - Vamos rápido, estou interessada na história do Ambrose. - Fala Michaela indo com eles deixando, Babe e Link sozinhos quando ele entra dentro de um caixão aberto ficando sentado falando
  -Babe, quero que fale a todos que eu já transei com você. - Fala Link a assustando
  -O quê? Não! Jamais farei isso, pare. Já não basta eu estar andando com você? - Pergunta Babe assustada
  -Claro que não sua idiota. Você é linda, perfeita, loira e personalidade forte como a minha. Preciso de você. Por favor, se fizer isso nunca mais peço nada. - Fala Link mentindo com um semblante sorridente
  -Fechado, se isso for me livrar de você. - Fala Babe
  -Idiota... - Sussurra Link rindo fazendo-a o dar um soco no seu rosto caindo deitado no caixão mas ela o tranca
  -Quem está por cima agora, Link, quem? - Pergunta Babe furiosa enquanto, Vector pegava o vinho no porão
  -Barnabete, me tire daqui agora! Vou acabar com você, sua vadia! - Grita Link preso dentro do caixão quando, Babe avista o incinerador 
  -Vai se arrepender, Link Glum. - Babe empurra o caixão de Link, ela abre o incinerador o empurrando pra dentro
  -O que está fazendo? Bernabete, BERNABETE! - Grita Link desesperado
  -Hum, até mais fofo. Não vou sentir sua falta, é como dizem: "amor arde como fogo.". Adeus. - Fala Babe rindo fechando a porta do incinerador ligando-o assim começando a queimar o caixão fazendo, Link queimar até que os garotos voltam com o vinho
  -Trouxemos o vinho! - Fala Vector rindo
   -Me ajudem, Link ficou preso no incinerador, ligou sozinho, ajude-o! - Fala Babe desesperada fingindo a situação 
  -LINK! - Grita Vector deixando sua garrafa de vinho cair no chão tentando abrir o incinerador mas não conseguia. Link gritava em chamas com sua peles se desfazendo com todos desesperados enquanto, Babe olhava frustada pra tudo aquilo.
  Babe estava em casa na sala com um cobertor em suas costas e um copo de café frustada e molhada com sua família a sua frente tentando-a acalmar que não parava de pensar naquela cena, nos gritos e tudo mais e que o pior de tudo, ela causou aquilo
  -Oh, meu Deus, Babe... sinto muito pelo, Link. - Lamenta Bonnie
  -Como que tudo aconteceu? - Pergunta Warren curioso
  -Ele entrou no caixão pedindo pra mim colocá-lo no incinerador fingindo ser um morto em cremamento, dai ele puxou a porta pra gravar um vídeo e foi quando tudo começou a pegar fogo. - Fala Babe com o olhar fixo se lembrando
  -Tudo bem, ligaremos pro avô do Link do incidente, acho que irei lá pessoalmente. - Ele olha para, Thomas. - Thomas, vem comigo? - Pergunta Warren
  -Claro. - Confirma Thomas indo com ele.
  Mais tarde quando, Babe estava deitada na sua cama sozinha com a coberta até os peitos acordada olhando para o teto a porta se abre vendo, Michaela entrando
  -Michaela, oque quer? - Pergunta Babe curiosa
  -Eu se que foi você, você matou o Link. Link Glum. - Fala Michaela a assustando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2017 | Design e Código: Sanyt Design Versão por: Luiza Oliveira | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo